O efeito de memória nas baterias

Explicamos o efeito de memória nas baterias, bem como o motivo pelo qual isto já não é um problema nas máquinas e nos aparelhos modernos.

Battery, Lithium-Ion (smaller gardens), Cordless power tools, cordless products, Private users, Private, leisure gardeners, occasional users, Courtyard entrance, Courtyard, Protective gloves

O que é o efeito de memória?

É frequente ouvir falar do "efeito de memória" nas baterias, ou até mesmo no vício da bateria, que faz com que percam capacidade energética no caso de carregamentos parciais repetidos. Quando a energia da bateria desce, o tempo de funcionamento da sua máquina a bateria é reduzido e, em breve, a bateria precisará de ser carregada com mais frequência. Na pior das hipóteses, as baterias podem ficar inutilizadas muito antes do final da sua vida útil. Mas nem todas as baterias são afetadas pela perda de capacidade, uma vez que o efeito de memória não constitui um problema nas baterias modernas de iões de lítio. Para os utilizadores, a principal vantagem é o facto de a bateria de iões de lítio poder ser carregada em qualquer momento, independentemente do nível de carga.

Efeito de memória: descoberto nos anos 60 do século XX

Na verdade, o comportamento supersticioso orientado pelo efeito de memória das baterias está enraizado, dado que o efeito de memória já representou um desafio grave. Foi descoberto na década de 1960 por engenheiros da NASA que perceberam que as baterias integradas num satélite foram perdendo a capacidade ao longo do tempo. Especificamente, depois do descarregamento parcial repetido, as baterias só forneceriam a quantidade de energia adicionada com o processo de carregamento mais recente – a energia residual previamente carregada não estava disponível para utilização. 

Por outras palavras, o efeito de memória tem um impacto negativo na capacidade de armazenamento e ocorre após uma descarga parcial repetida. A bateria "recorda-se" do nível de descarga parcial e fornece apenas esta quantidade "recordada" de energia para utilização futura. Para explicar melhor, imagine uma mala; em vez de desembalar os últimos artigos, instala um fundo falso permanente. O novo espaço que criou agora é todo o espaço de armazenamento que a sua mala pode oferecer – há menos espaço para preencher e não pode aceder ao que colocou anteriormente. Nas baterias, o efeito de memória manifesta-se como uma queda de tensão e pode acabar por fazer com que as baterias afetadas fiquem inutilizadas quando a tensão cai abaixo do requisito mínimo da máquina.

Que baterias estão sujeitas ao efeito de memória?

O efeito de memória ocorre principalmente em baterias de níquel-cádmio (NiCd), amplamente usadas em máquinas a bateria. Nestas baterias, o efeito é causado pela formação de cristais no cátodo de cádmio, porque, se a bateria não estiver totalmente descarregada, os cristais tendem a formar-se na parte não descarregada da célula da bateria. A tensão diminui à medida que os cristais crescem, dado que estes prejudicam a condutividade do material. Pode ser observado em menor grau um comportamento semelhante em baterias de hidreto metálico de níquel (NiMH), embora aqui seja conhecido como o "efeito de bateria preguiçosa". As baterias AA ou AAA de tamanho standard são frequentemente do tipo NiMH, uma vez que são as baterias integradas em aparelhos elétricos pequenos, mas, atualmente, as baterias de NiMH e NiCd raramente são utilizadas noutro local.

Como acontece o efeito da memória nas baterias?

De acordo com a investigação atual, o efeito de memória baseia-se em dois processos.

Uma motosserra a bateria STIHL MSA 220 C-B é utilizada para eliminar ramos de um tronco de árvore

Nenhum efeito de memória com baterias de lítio STIHL

A STIHL utiliza apenas baterias de iões de lítio avançadas. Estas são não só mais leves e mais potentes do que as suas antecessoras, como também quase não são afetadas pelo efeito de memória: não mostram qualquer diminuição significativa da tensão depois do descarregamento parcial repetido, graças aos materiais e à tecnologia de ponta que utilizamos nas nossas células de bateria. As baterias de iões de lítio STIHL podem ser carregadas em qualquer altura, sem ter de se preocupar com o efeito de memória, e não importa se carrega sempre a bateria STIHL completamente antes de a utilizar. Dispensam dicas de carregamento inteligente, uma vez que, mesmo um breve carregamento entre tarefas, não acarreta riscos.

O que significa o efeito de memória da bateria?

As baterias de níquel-cádmio (NiCd) e hidreto metálico de níquel (NiMH), frequentemente utilizadas no passado, sofriam perdas de capacidade se fossem descarregadas parcialmente de forma repetida. Este fenómeno é conhecido como efeito de memória, porque, com o descarregamento parcial frequente, a bateria "recorda-se" da capacidade energética apenas dos carregamentos mais recentes e carrega a bateria com esta quantidade de energia "recordada", em vez da capacidade total original. Isto leva a uma perda prematura da tensão disponível, o que torna a bateria inutilizável.

Resumo: o efeito de memória nas baterias

  • Os produtos STIHL utilizam baterias de lítio que não têm efeito de memória
  • O efeito de memória ocorre apenas em tecnologias mais antigas, como a das baterias de NiCd
  • As baterias afetadas são sobrecarregadas se não estiverem totalmente descarregadas antes de serem carregadas
  • O efeito de memória pode reduzir ou até destruir a capacidade energética das baterias